Mercado em Construção

Mercado em Construção

Mercado em Construção

Nenhum comentário em Mercado em Construção

mat_dinheiro_201506

O economista paulista Vitor Bidetti tem duas décadas de experiência em aproximar o mercado financeiro e o setor imobiliário. Ele começou sua carreira nos anos 1990, operando a carteira imobiliária do antigo BankBoston, adquirido pelo Itaú, em 2004. No entanto, pouco antes da virada do milênio, Bidetti, ao lado de Fábio Nogueira, outro egresso do departamento imobiliário do BankBoston, lançou a Brazilian Finance and Real Estate (BFRE), em associação com o banco de investimentos Ourinvest.

Pioneira na securitização de recebíveis lastreados em imóveis e na estruturação de recebíveis imobiliários, a BFRE lançou produtos como o fundo Shopping Pátio Higienópolis, até ser vendida para o BTG Pactual, de André Esteves, no fim de 2012, por nada menos de R$ 1,2 bilhão. O BTG assumiu os fundos e a originação dos empréstimos imobiliários, mas dedicou pouca energia à securitização. Nesse meio tempo, Bidetti não ficou longe do mercado. No início de 2014, em parceria com a construtora paulista BKO, ele estruturou uma nova empresa, criada à imagem e semelhança da BFRE.

Trata-se da Brei, uma gestora de recursos independente. Bidetti recentemente concluiu a captação de seu primeiro fundo imobiliário, levantando R$ 50 milhões em uma carteira dedicada ao investimento nos produtos da incorporadora paulista BKO. “É um fundo de até oito anos de prazo, que terá 100% da preferência dos lançamentos da construtora”, diz Bidetti. “Foi uma captação demorada devido às condições adversas do mercado, mas atingimos nosso objetivo.” A partir de agora, Bidetti terá menos problemas para captar recursos. Está em fase final de aprovação uma parceria entre sua empresa e a gestora de fundos de recebíveis paulista Integral Trust, criada pelos sócios Antônio Hermann, presidente do banco BMG, Carlos Fagundes e Bruno Amadei.

Uma das líderes em fundos de crédito, com R$ 7 bilhões sob gestão, a Integral investiu uma quantia não declarada para comprar um terço do capital da Brei. “Além dos recursos, a Integral vai aportar tecnologia, processos, e uma ampla rede de relacionamentos com clientes institucionais e family offices”, diz Bidetti. Além do produto já colocado no mercado, a Brei está preparando o lançamento de um fundo de fundos imobiliários, para aproveitar o momento de baixa do mercado. “As cotações caíram, em meados de 2014, quando o governo voltou a elevar o juros, e há muitas oportunidades no mercado”, diz Bidetti. “Agora, vamos aproveitar os recursos para comprar barato e esperar a valorização, quando os juros voltarem a cair.”

Revista Istoé Dinheiro 01/07/2015 – São Paulo, Brazil

Deixe um comentário

Back to Top